Você está aqui: Página Inicial > Pesquisa > Projetos > Junho de 2015 a Agosto de 2016 > Ciências Humanas > Das fronteiras de Minas Gerais: um estudo sobre o papel do poder público mineiro na questão fronteiriça entre o final do Império e a Primeira República (1879-1930)
conteúdo

Das fronteiras de Minas Gerais: um estudo sobre o papel do poder público mineiro na questão fronteiriça entre o final do Império e a Primeira República (1879-1930)

por Thiago Gomes publicado 09/01/2018 11h00, última modificação 09/01/2018 11h00

Este projeto se propõe a investigar a atuação do poder público mineiro frente ao desafio de gerir os limites políticos e geográficos do estado de Minas Gerais e de seus municípios na transição do Império para a República no Brasil e ao longo do período convencionado por Primeira República. Para tanto, pretende discutir o conceito de fronteira, a importância deste conceito para a administração pública, a relevância histórica do problema em contexto de indefinição política e, especificamente, realizar levantamento e avaliação do posicionamento dos presidentes de província (quando ainda no Império) e presidentes do Estado (quando já na República) de Minas Gerais, registrados nos relatórios enviados ao parlamento estadual entre os anos de 1880 e 1930. A hipótese deste trabalho é a de que, em contexto de fragmentação política e necessidade de reorganização da elite oligárquica, em que se vislumbravam propostas separatistas em algumas regiões do estado, foi determinante uma agenda de consolidação das fronteiras internas (nas disputas intermunicipais) bem como nas fronteiras com os estados vizinhos.

 

Orientador: Daniel Henrique Diniz Barbosa