conteúdo

CPA

publicado 14/02/2017 14h42, última modificação 14/02/2017 15h48

 

 

  

 


O que é autoavaliação institucional 

A autoavaliação institucional faz parte do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes) e se trata de um processo de caráter diagnóstico, formativo e de compromisso coletivo, cujo objetivo é identificar o perfil institucional e o significado de sua atuação por meio das atividades relacionadas ao ensino, à pesquisa e à extensão.

A autoavaliação deve ser uma construção coletiva dos sujeitos que integram a instituição e se configura como um movimento sistêmico, capaz de fornecer subsídios, em suas dimensões política, acadêmica e administrativa, para o autoconhecimento institucional e o aprimoramento da qualidade da gestão, do ensino, das atividades de pesquisa e extensão, bem como para as revisões necessárias do PDI. A avaliação favorece a organização do processo de tomada de decisões por parte dos gestores, a melhoria da qualidade das ações praticadas, o cumprimento da missão, a consolidação dos seus princípios e valores, bem como o fortalecimento da imagem e identidade desta instituição.

O Sistema Nacional de Avaliação compreende três modalidades principais de avaliação, a saber:

I - Avaliação das Instituições de Educação Superior (Avalies):

Autoavaliação institucional: estruturada, organizada e executada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de cada Instituição de Ensino Superior (IES);
Avaliação externa: realizada para fins de autorização, reconhecimento, renovação de reconhecimento dos cursos e das IES por comissões designadas pelo MEC/Inep.

II - Avaliação dos cursos de graduação: realizada por comissões designadas pelo MEC/ Inep.

III - Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade): realizado pelo MEC/ Inep e aplicado a todos os alunos dos cursos de graduação.

O processo de avaliação no IFMG

A CPA construiu três modelos de questionários avaliativos, concebidos com base na realidade do IFMG, nos instrumentos de avaliação externa aplicados pelo Inep e nas orientações expressas pelo Sinaes. A proposta é que a autoavaliação no IFMG ocorra mediante a aplicação dos seguintes instrumentos de avaliação:

a) Questionário de autoavaliação institucional;

b) Questionário de avaliação de cursos;

c) Questionário de autoavaliação discente e avaliação docente.

A comunidade acadêmica é convidada a participar de cada uma das etapas do processo avaliativo e dar a sua contribuição em prol da melhoria da qualidade da educação o IFMG. Para isso, a CPA envida esforços no sentido de estimular o caráter participativo e continuado da avaliação. Busca o apoio do setor de Comunicação, dos diretores gerais e de ensino de cada campus e dos coordenadores de curso, dentre outros segmentos, para a sensibilização da comunidade acadêmica (docentes, técnicos administrativos, discentes e representantes da sociedade civil) sobre a importância de sua participação no processo avaliativo. O processo avaliativo ocorre ao longo de todo o ano letivo em datas previamente agendadas de acordo com o planejamento das ações da CPA.

Uma vez coletados os dados, a CPA elabora o relatório de autoavaliação institucional, no qual consta a análise e sistematização de informações, a identificação das fragilidades e potencialidades, bem como a apresentação de propostas de ações de melhoria que possam subsidiar a tomada de decisões por parte dos gestores. Propõe, dessa forma, a construção do conhecimento sobre a realidade do IFMG, com vistas a compreender os significados do conjunto de suas atividades para melhoria das ações.

Divulgação dos resultados da avaliação

A CPA adota as seguintes estratégias de divulgação: envio do relatório de autoavaliação institucional ao reitor do IFMG e ao procurador institucional para publicação na base do e-Mec; publicação do documento no portal do Instituto; e disponibilização dos resultados por meio de cartazes a serem afixados nas salas de aula e demais dependências dos diferentes campi participantes do processo avaliativo. Além disso, os resultados são socializados e debatidos com os gestores e os diferentes públicos por meio de reuniões e seminários, de modo que cada segmento possa contribuir com sugestões e propostas de ações de melhoria para os diferentes setores da Instituição.