Você está aqui: Página Inicial > Extensão > Observatório da Educação Profissional e Tecnológica > Noticias > Grupo Observatório da EPT se reúne na Reitoria do IFMG
conteúdo

Notícias

Grupo Observatório da EPT se reúne na Reitoria do IFMG

Pesquisadores de quatro instituições da Rede Federal apresentaram andamento das pesquisas e discutem próximos passos do trabalho
publicado: 11/06/2019 09h46, última modificação: 11/06/2019 11h12

A reunião do grupo de pesquisa Observatório da Educação Profissional e Tecnológica ocorreu em 27 de maio, no prédio da Reitoria. Nas cinco horas de evento, os pesquisadores de quatro instituições federais (IFSULDEMINAS, IFMG, IFSudeste-MG e Cefet-MG) discutiram os projetos de pesquisa propostos pela organização do programa.

O pesquisador Eli Toledo abriu a rodada de apresentações com seu tema “Mapeamento dos Adensamentos vocacionais nas microrregiões onde se localizam as unidades da Rede Federal de Educação Profissional de Minas Gerais”. A pesquisa do professor do Campus Poços de Caldas visa mapear zonas e atividades econômicas que se desenvolvem no entorno de instituições federais mineiras. Em seguida, a pesquisadora Katia Alves, responsável pelo tema “Análise do desempenho dos egressos da Rede Federal no mercado de trabalho”, apresentou o andamento da pesquisa que 
Grupo de pesquisadores desenvolve pesquisas que auxiliam gestorespretende analisar as atividades profissionais desenvolvidas por ex-alunos após deixarem os institutos federais mineiros.

Ainda na parte da manhã, o docente do Cefet-MG, Bráulio Chaves, discutiu a coleta de dados relacionados aos docentes e extensionistas que estão ligados à Rede Federal em seu tema “Perfil dos pesquisadores e extensionistas da RFEPCT em MG”.

Demais projetos

Na parte da tarde, mais dois pesquisadores trouxeram seus temas para a exposição. O professor Sandro Fernandes, também do Cefet-MG, expôs a metodologia da pesquisa intitulada “Proposição de itinerários formativos para as unidades da Rede”. O projeto visa à criação de uma ferramenta de inteligência artificial que possibilite o mapeamento da estrutura de Reunião marcou o primeiro encontro presencial do grupoensino de instituições federais, de modo a indicar a possibilidade de verticalização. Ou seja, o desenvolvimento de cursos em diferentes níveis, como mestrado e doutorado, por exemplo, de uma mesma área, em um mesmo campus.

Fechando as explanações, Thiago Magela, do Cefet-MG, apresentou o tema “Atividades econômicas portadoras de futuro e os eixos tecnológicos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica”. Na discussão, o docente tratou a respeito de como identificar atividades econômicas portadoras de futuro nas proximidades dos campi. Para tal, o desenvolvimento de uma ferramenta interativa que possibilite ao gestor o mapeamento da estrutura dos próprios campi, visando à criação de novos cursos, é uma das propostas da pesquisa.

Encerramento

No momento final do encontro, o pró-reitor de Extensão do IFMG, Fernando Braga, destacou a importância do contato presencial entre os pesquisadores. Segundo Braga, a oportunidade de exposição das pesquisas em conjunto é muito importante para o desenvolvimento das mesmas e do grupo enquanto um coletivo de pesquisadores.

Sobre o observatório

O Observatório da Rede Federal é uma iniciativa das instituições mineirasLucas Maia, coordenador do projeto, mediou as apresentações, em parceria com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC). O grupo tem o objetivo de realizar pesquisas que auxiliem na tomada de decisão dos gestores das instituições. Seis pesquisadores, distribuídos pelos IFSULDEMINAS, Cefet-MG, IFSudeste-MG e IFMG compõem a equipe. A coordenação está na Pró-reitoria de Extensão do IFMG, sob a responsabilidade do professor Lucas Maia, que presidiu o encontro.