Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFMG sedia Olimpíada Brasileira de Agropecuária no Campus Bambuí
conteúdo

Notícias

IFMG sedia Olimpíada Brasileira de Agropecuária no Campus Bambuí

publicado: 10/09/2018 15h49, última modificação: 10/09/2018 16h38

O Instituto Federal de Minas Gerais sediará, nos dias 14, 15 e 16 de setembro, no Campus Bambuí, a fase final da Olimpíada Brasileira de Agropecuária (OBAP), competição científica que está em sua oitava edição, reúne estudantes de todo o Brasil e, pela primeira vez, também alunos estrangeiros. Em 2018, participam, além das instituições brasileiras (públicas e privadas) que ofertam ensino técnico na área de agropecuária, instituições dos países membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, constituída por nove nações.

Estarão em Bambuí, a partir da próxima sexta-feira, 55 equipes, pertencentes a 46 instituições de ensino. Quarenta delas disputam as medalhas da categoria ensino técnico integrado/concomitante e outras 15 concorrem na categoria ensino técnico subsequente. Cinco equipes são estrangeiras: três vêm de Portugal e duas de Angola. A expectativa é receber mais de 200 participantes durante os três dias do evento.  

Idealizada pelo Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS), a OBAP é realizada anualmente, em três etapas, sendo uma virtual e as duas presenciais. Nesta edição, foram 703 equipes inscritas. A primeira etapa foi realizada em uma plataforma online gerenciada pelo IFSULDEMINAS, que também é responsável pelas provas teóricas e práticas das fases presenciais.

Este ano a temática da competição comemora os 10 anos dos Institutos Federais, que foram constituídos por meio da lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008. A olimpíada tem o objetivo de estimular o ingresso de jovens em carreiras técnico-científicas, incentivando a participação em atividades de iniciação científica, colocando-os em situações desafiadoras, estimulando a cooperação e a integração entre os participantes. As equipes são compostas por três alunos e um orientador; sendo Minas Gerais o estado com o maior número de equipes inscritas (92) em 2018, seguido do Piauí (53) e Goiás (51). Ao todo, são aproximadamente 3 mil participantes envolvidos na oitava edição.

Realizada entre os dias 1º e 3 de agosto, a etapa virtual contou com 40 questões de múltipla escolha nas áreas descritas no conteúdo programático, com valor total de 40 pontos. A fase presencial que será sediada em Bambuí compreende duas etapas. Na primeira (classificatória), as equipes classificadas deverão realizar prova prática proposta pela organização, com valor de 20 pontos. Na segunda etapa (classificatória), cada estudante responderá individualmente uma prova teórica contendo vinte questões objetivas (1 ponto cada) e quatro questões discursivas (5 pontos cada).

Na modalidade de Ensino Médio Integrado/Concomitante, receberão medalhas as quinze melhores equipes; sendo cinco medalhas de bronze, cinco de prata e cinco de ouro. Já na modalidade Subsequente, receberão medalhas as nove melhores equipes; sendo três medalhas de bronze, três de prata e três de ouro. A premiação individual será destinada ao estudante de cada país que obtiver a melhor nota na prova teórica. Os estudantes das equipes medalhistas da modalidade de ensino médio/técnico integrado ou concomitante poderão ser convidados a participar da seletiva para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Ciências da Terra (IESO, na sigla em inglês) no ano de 2019, que acontecerá na Coreia do Sul.