Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Leis de Newton na prática: alunos do Campus Ipatinga participam de competição de catapultas
conteúdo

Acontece nos Campi

Leis de Newton na prática: alunos do Campus Ipatinga participam de competição de catapultas

Professor de Física da unidade organizou o evento com o intuito de demonstrar, em campo, conceitos do físico inglês.
publicado: 28/08/2019 15h32, última modificação: 28/08/2019 15h32
Exibir carrossel de imagens Competição de catapultas mobilizou alunos do Campus

Competição de catapultas mobilizou alunos do Campus

O Campus Ipatinga recebeu, no dia 10 de agosto, a primeira competição de catapultas desenvolvidas por alunos da unidade. A realização do evento foi uma iniciativa do professor de Física do campus, Marcos Flávio de Oliveira, que organizou os estudantes em equipes e orientou a produção das catapultas. A atividade premiou os grupos participantes com pontos extras nas disciplinas de Física, História e Geografia. 

Segundo Marcos Flávio, as equipes passaram por uma etapa de preparação prévia, na qual foram definidas, dentre outras especificações, a dimensão da catapulta e o projétil a ser lançado. Os grupos, de até 10 membros, deveriam construir um instrumento de, no máximo, 80 centímetros de altura, largura e comprimento, capaz de lançar uma bola de tênis o mais longe possível. Além da construção prática, os estudantes do primeiro ano do curso técnico integrado em Automação Industrial ainda deveriam produzir um relatório, apresentando o projeto de construção.

Chegou o dia

No dia 10 de agosto, os alunos puderam apresentar suas catapultas. Cada grupo realizou testes prévios antes do início da competição. Após esse momento inicial, cada equipe teve direito a dois lançamentos, sendo computado o arremesso de maior alcance. 

De acordo com o professor, devido às provas que ocorreram na mesma semana do evento, três equipes participaram da competição. Ainda assim, as escolhas dos estudantes para o desenvolvimento dos projetos foram distintas e animaram o docente. “Foi curioso perceber que cada grupo teve uma solução própria para o problema da catapulta, resultando em três dispositivos bem diferentes uns dos outros”, ressalta o professor. 

Marcos Flávio comentou, também, acerca da importância do evento e de suas contribuições para a vida acadêmica dos alunos - no que tange à aplicação prática de conceitos estudados em sala, como as Leis de Newton - e, ainda, no interesse pela matéria. “Senti uma mudança na postura de alguns alunos, mesmo daqueles que não participaram. Notei um maior interesse e motivação em relação as minhas aulas”, pontua. Como prêmio pelo envolvimento, além de receberem pontos extras, os alunos participaram do sorteio de dois livros do autor francês Júlio Verne. 

Confira, na galeria, algumas imagens dos projetos desenvolvidos!