Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria promove o ato “Abraço pela Educação” em defesa dos Institutos Federais
conteúdo

Notícias

Reitoria promove o ato “Abraço pela Educação” em defesa dos Institutos Federais

Manifestação, que aconteceu na manhã do dia 13 de maio, reuniu cerca de 80 servidores e colaboradores. Ato integra ações que estão sendo realizadas em todo o Brasil.
publicado: 13/05/2019 12h37, última modificação: 13/05/2019 12h37

Servidores e colaboradores da Reitoria participaram, nesta segunda-feira, 13 de maio, do ato “Abraço pela Educação”, em defesa dos Institutos Federais e contra o bloqueio de recursos orçamentários, anunciado pelo Ministério da Educação, no dia 30 de abril. O ato aconteceu em Belo Horizonte, na Avenida Mário Werneck, no bairro Buritis, durante a manhã, e contou com a participação de aproximadamente 80 pessoas, incluindo o reitor Kléber Glória, que explicou os impactos da redução de 30% no orçamento para as unidades do IFMG.

Durante a manifestação, foi lida a nota oficial divulgada pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Ciência e Tecnológica (Conif), que pode ser acessada clicando aqui. A manifestação integra uma série de atos que estão sendo realizados em todo o Brasil, ao longo desta semana. Novos “abraços” acontecerão também nos campi do IFMG, onde participarão alunos e comunidade.

O bloqueio realizado compromete a continuidade do funcionamento da instituição, que possui cerca de 17 mil estudantes, matriculados em 192 cursos, espalhados em 18 cidades de Minas Gerais. O contingenciamento é de R$ 20,6 milhões, que representa 32% do orçamento 2019. Se a situação não for revertida, a instituição terá que suspender ações de ensino, pesquisa e extensão, além de não ter condições de honrar seus compromissos e cumprir contratos com fornecedores. Serviços básicos como limpeza, vigilância e manutenção dependem dos recursos bloqueados.

Presente em cinco regiões do estado, o IFMG atende direta e indiretamente cerca de 2,5 milhões. Está presente na periferia de grandes cidades, como as da região metropolitana de Belo Horizonte, e também no interior, como em municípios de pequeno e médio porte. Outras informações sobre a situação orçamentária e as consequências do bloqueio de recursos estão disponíveis nessa página (clique para acessar).