Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Estudantes compartilham experiências internacionais
conteúdo

Notícias

Estudantes compartilham experiências internacionais

Oportunidades internacionais: no último dia do Planeta Inovação, palestra com vice-reitor português aborda programas de mobilidade acadêmica na Europa. Evento contou também com relatos de experiência de estudantes sobre o Internacionaliza IFMG
publicado: 14/08/2019 18h54, última modificação: 14/08/2019 19h14
Exibir carrossel de imagens Alunos do programa Internacionaliza compartilham suas experiências

Alunos do programa Internacionaliza compartilham suas experiências

O mercado profissional tem buscado profissionais que sejam multiculturais, adaptáveis e flexíveis. Tais características podem ser adquiridas quando o estudante tem a oportunidade de experimentar viver em outro país e, assim, impulsionar seu crescimento pessoal e profissional.

Nesta quarta-feira, 14, a segunda edição do Planeta Inovação, no Campus Ribeirão das Neves, encerrou suas atividades com relatos de experiência do programa Internacionaliza IFMG e palestra do vice-presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP), Portugal, Prof. Carlos Ramos, que veio ao evento para falar sobre os maiores programas de mobilidade acadêmica da União Europeia.

Ana Cristina Costa, da Arinter, recebe professor português Carlos Ramos

Segundo Carlos Ramos (na foto, à direita), o IPP tem tradição em programas de mobilidade, contando com grande número de intercambistas brasileiros, especialmente dos Institutos Federais. “Percebemos que se trata de uma oportunidade que enriquece os alunos, tanto no aspecto profissional quanto pessoal”, avalia. O professor acredita que, mesmo nos cenários desfavoráveis, é importante usar a criatividade para procurar manter alternativas neste sentido, já que o programa tem trazido resultados palpáveis para as instituições dos dois países.

 O pensamento vai ao encontro dos esforços da Assessoria de Relações Internacionais (Arinter) do IFMG. “Com os contingenciamentos na educação, não temos garantia da realização da próxima edição do Internacionaliza nos moldes em que é hoje, mas, certamente, estudaremos formas de manter as ações de mobilidade”, adianta a assessora, Ana Cristina Costa (na foto, à esquerda). 

Internacionalização

Desde o programa Ciência sem Fronteiras o instituto vem incentivando atividades de mobilidade acadêmica para os discentes da graduação e professores. A partir de 2016, os editais do Internacionaliza IFMG investiram um total de R$407.800 em auxílio para custeio parcial de despesas como alojamento, alimentação, seguro viagem internacional e passagens aéreas. Foram 37 bolsas destinadas para os Institutos Politécnicos do Porto (IPP), de Bragança (IPB) e Guarda (IPG).

O Internacionaliza é o programa de mobilidade acadêmica do IFMG voltado aos estudantes de graduação que desejam desenvolver pesquisas, por meio de intercâmbio estudantil, de até cinco meses, com Institutos Politécnicos portugueses. Atualmente, o programa oferece auxílio financeiro aos estudantes selecionados para custeio parcial de despesas como alojamento, alimentação, seguro viagem internacional e passagens aéreas

Assista abaixo o depoimento dos intercambistas Lorena Costa, Ríssia Zacarias, Maria Luzia Guimarães e Jônatas Ferreira dos campi Santa Luzia, Ouro Branco, Congonhas e Ouro Preto, respectivamente.

Mobilidade internacional na Rede Federal

Ao longo dos anos, a Rede Federal de Educação vem investindo em parcerias internacionais e nas mobilidades acadêmicas para professores e estudantes. Em 2017, firmou-se convênio com o projeto Práticas e Habilidades Interpessoais para uma Rede Voltada à Inovação na América Latina (LAPASSION, sigla em inglês) que envolve 15 entidades europeias e sul-americanas, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação (Conif) e os institutos federais no Brasil. 

A parceria tem vigência de três anos e é financiada pelo Programa Erasmus+ com aporte de 999.310 euros. O objetivo é transferir as boas práticas desenvolvidas na Europa nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. A última etapa do projeto será executada em março de 2020, nos institutos Sul-riograndense (IFSul), Goiano (IFG) e Amazonas (IFAM).

Além disso, os institutos federais têm fortalecido as cooperações técnicas com instituições portuguesas e espanholas. Para os professores, as parcerias se estendem aos programas de mestrado e doutorado. Já o estudantes têm a oportunidade de realizar intercâmbio acadêmico e trocar experiências com pessoas de outros países nos institutos politécnicos de excelência em Portugal.

 

Leia mais:

Planeta Inovação: religioso e físico debatem ciência e fé

Planeta Inovação provoca reflexão sobre ciência, tecnologia e fé

Planeta Inovação: tem início a edição 2019