Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Alunos do Campus Ibirité participam de simulação das Nações Unidas
conteúdo

Acontece nos Campi

Alunos do Campus Ibirité participam de simulação das Nações Unidas

Treze estudantes da unidade integraram comitês na 20ª edição do MINIONU. Outras seis unidades também participaram do evento organizado pela Puc Minas, em Belo Horizonte.
publicado: 21/10/2019 18h24, última modificação: 22/10/2019 16h17

O Campus Ibirité foi representado por 13 alunos na edição de 2019 do MINIONU, evento que integra o conjunto de simulações mundiais da Organização das Nações Unidas. O encontro, promovido em Minas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC Minas), ocorreu entre os dias 12 e 15 de outubro e reuniu, em Belo Horizonte, alunos de ensino médio de todo o Estado. 

Os estudantes do IFMG, assim como demais participantes, foram orientados por um professor e representaram, individualmente, um país ou organização e, a partir de programação proposta por alunos departamento de Relações Internacionais da faculdade, os “representantes” foram divididos em comitês e debateram temas relevantes ao cenário político do país ou órgão representado por eles. No caso dos alunos do Campus Ibirité, a coordenação foi do professor e diretor de ensino da unidade, Luciano Moreira. 

Preparação

Segundo o professor de Filosofia e Sociologia do Campus Ibirité, Fernando Ruiz, que também participou da orientação do grupo, o período anterior ao evento foi de preparação. Inicialmente, os alunos passaram por um processo de seleção, por meio de simulações realizadas no próprio campus. Após selecionados, os 13 alunos iniciaram uma fase de estudo, que teve como base um guia preparado pela Puc, dos comitês e do órgão, ou país, a ser representado. 

Ainda de acordo com o docente, como última etapa de preparação, os alunos formularam o Documento de Posição Final, que resume a opinião oficial da delegação. Para finalizar, os selecionados passaram por novas simulações, para esclarecimento de regras e ganho de habilidades necessárias. 

O evento

Os estudantes representaram diferentes países, como Polônia, Noruega, Suécia, e também organizações, a exemplo da Associação Revolucionária das Mulheres do Afeganistão. A representante da Suécia, Lorrayne Lima, do primeiro ano do curso técnico em Mecatrônica, conta que superou uma antiga dificuldade para falar em público para defender e representar “seu país” no Conselho dos Direitos Humanos. “Eu argumentei bastante, principalmente nos debates não moderados, aqueles em que não temos um limite de tempo, nem de temática abordada”, comenta. 

A respeito desta dinâmica de realização, o professor Fernando, acredita que os debates e discussões propostas contribuem com a formação, não só acadêmica, mas também pessoal dos estudantes. “Ao serem incitados a defender, por meio do discurso, sua delegação, os alunos percebem que a argumentação é essencial para se posicionar e, nesse sentido, precisam desenvolver a capacidade de compreender estruturas argumentativas e de desconstruir argumentos que não são favoráveis à sua posição”. 

“Aprendi coisas que levarei tanto para minha vida pessoal, quanto profissional” - Lorrayne Lima

Com o encerramento de cada comitê, os alunos produzem um texto que registra as temáticas abordadas nas discussões. Segundo o docente, neste momento, os alunos precisam exercitar também habilidades de síntese e da escrita em si, o que, para ele, torna a experiência muito abrangente. “Trata-se de uma prática bastante completa e que motiva o aluno a interagir e se envolver integralmente na atividade. Nesse sentido, o aluno que passa por esta experiência desenvolve uma série de habilidades que são essenciais na vida acadêmica”, pontua.

Esta foi a primeira vez que o Campus Ibirité participou do MINIONU. Além da unidade, os campi do IFMG em Congonhas, Ribeirão das Neves, Ouro Branco, Itabirito e Sabará também foram representadas na 20ª MINIONU.