Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Campus Conselheiro Lafaiete oferta curso para egressos do sistema prisional
conteúdo

Acontece nos Campi

Campus Conselheiro Lafaiete oferta curso para egressos do sistema prisional

Curso FIC “Instalações Elétricas Prediais” faz parte do Projeto Alvorada que promove a inclusão social e produtiva por meio da capacitação profissional
publicado: 06/06/2022 13h46, última modificação: 10/06/2022 14h21

Gerar oportunidades profissionais por meio da inclusão social e produtiva é um dos objetivos do Projeto Alvorada, ação que visa reintegrar os egressos do sistema prisional no mercado de trabalho com a oferta de cursos profissionalizantes. O projeto é uma iniciativa do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), do Ministério da Justiça, de entes ligados a execuções penais da Comarca de Conselheiro Lafaiete e com a participação do IFMG Campus Conselheiro Lafaiete na promoção e oferta de cursos da Formação Inicial e Continuada (FIC). 

Não é a primeira vez que o campus Lafaiete atua em parceria com o Projeto Alvorada. Em 2018, jovens de até 18 anos e que estavam em cumprimento de medidas socioeducativas participaram do curso FIC  'Instalações Elétricas Prediais: noções básicas'. Os estudantes eram acompanhados pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) que buscavam oportunidades de qualificação aos jovens.

Este ano, o campus ofertou 20 vagas para o curso Instalações Elétricas Prediais com oito disciplinas (componentes técnicos, tópicos em linguagem, em matemática, em saúde e esporte, empreendedorismo e inovação, projeto de vida e informática), totalizando carga horária de 766 horas, sendo 466h de aulas e 240h de estágio. 

O curso - que teve início no último dia 23 de maio - é executado por 17 profissionais, como docentes, tutores, coordenadores de estágio, psicólogos e outros extensionistas do campus e será ministrado no período diurno. A seleção dos participantes foi realizada por órgãos ligados à vara de execuções penais que avaliaram o perfil e o cumprimento de requisitos. Além disso, os selecionados passam a receber uma bolsa de estudo, durante oito meses, no valor de R$920 mensais e R$250 de auxílio em cota única, que está vinculado à frequência regular ao curso. Os recursos são oriundos do Fundo Penitenciário Nacional. 

O coordenador do projeto no campus, Walass Gabriel dos Santos, ressaltou a importância e o impacto de um curso profissionalizante na vida de um egresso do sistema prisional. “Formamos 20 pessoas na versão piloto do projeto Alvorada. Esse grupo foi acompanhado durante seis meses após o término do projeto e nenhum deles teve reentrada no sistema prisional. Isso demonstra que boas oportunidades transformam vidas”, disse ele. 

O sucesso do projeto fez com que a DEPEN expandisse as oportunidades para seis estados da federação e com a participação de 15 instituições, dentre elas: Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), do Norte de Minas Gerais (IFNMG), do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS), da Paraíba (IFPB), do Rio Grande do Sul (IFRS), do Rio Grande do Norte (IFRN), de Rondônia (IFRO), de Santa Catarina (IFSC), do Piauí (IFPI), do Espírito Santo (IFES), do Alagoas (IFAL), do CEFET-MG, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e da Universidade Federal do Piauí (UFPI).