Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Será que o que estou sentindo é normal?
conteúdo

Será que o que estou sentindo é normal?

publicado 08/06/2020 08h52, última modificação 08/06/2020 08h54

Durante este momento prolongado de quarentena que estamos vivendo, muitas pessoas se questionam sobre seus sentimentos, sensações, pensamentos e ações: Será que o que estou sentindo é normal? Será que estou desenvolvendo algum tipo de transtorno psicológico?

Em primeiro lugar, fique tranquilo, isso não ocorre somente com você! Pelo contrário, é mais comum do que se imagina.

Segundo diferentes pesquisas científicas realizadas em situações de calamidade pública, epidemias e pandemias, entre um terço e metade da população poderá manifestar algum tipo de alteração psicopatológica nesses momentos.

Alguns sentimentos e sensações frequentes e esperados incluem:

-sentimento de impotência;

-irritabilidade;

-angústia;

-tristeza;

-ansiedade;

Além disso, alguns comportamentos também são recorrentes, como:

-Alterações ou distúrbios no apetite (ausência ou excesso de apetite);

-Alterações no sono (insônia, dificuldade para dormir, sono excessivo, pesadelos recorrentes);

-Conflitos interpessoais (com a família, com colegas de trabalho ou com amigos);

- Pensamentos recorrentes sobre a epidemia, sobre a própria saúde, relacionados à morte ou medo de morrer;

-Comportamentos recorrentes de limpeza (sensação de estar sempre sujo ou infectado);

-Dificuldades de atenção e concentração;

Assim, é esperado que você sinta algumas, ou mesmo várias dessas sensações, afinal estamos todos vivenciando uma situação nova, para a qual nenhum de nós se preparou ao longo da vida para vivenciar.

Porém, não é porque estes comportamentos e sentimentos são esperados que devem ser ignorados. Pelo contrário, é importante ficar atento às próprias reações para encontrar formas de minimizar o sofrimento que essas reações podem ocasionar. É fundamental conhecer a si mesmo, e se questionar, o que em mim está diferente?

O autoconhecimento é o primeiro passo para a mudança. Saber identificar, reconhecer e aceitar aquilo que estamos sentindo. O NUPSI tem produzido materiais compartilhando diferentes estratégias e possibilidades de lidar melhor com este momento. Fique atento às publicações e caso sinta necessidade entre em contato com o profissional do seu campus.

Cuide de si mesmo e dos seus entes queridos, este momento também irá passar!

Autoria: Rodrigo Siqueira Câmara, em colaboração com o Núcleo de Psicólogos do IFMG (NUPSI).