Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Campus Ouro Preto promove, de forma correta, o descarte de quatro mil lâmpadas fluorescentes
conteúdo

Acontece nos Campi

Campus Ouro Preto promove, de forma correta, o descarte de quatro mil lâmpadas fluorescentes

publicado: 05/02/2021 17h54, última modificação: 05/02/2021 17h54

A Comissão de Eficiência Energética do Campus Ouro Preto,  com atividades conduzidas pela Gerência de Estratégia Institucional, realizou, no mês de janeiro, o descarte de 4.000 lâmpadas fluorescentes queimadas ou danificadas. Uma empresa especializada foi contratada para promover a correta destinação final do material, que possui alto potencial de toxicidade. 

Estima-se que o Campus tenha acumulado cerca de 14.000 lâmpadas inutilizadas nos últimos anos. O gerente de Estratégia Institucional, Cláudio Vita, ressalta que uma das preocupações está relacionada à quebra do vidro e a consequente evaporação de mercúrio presente na composição das lâmpadas: “Em caso de inalação, ele pode causar sintomas como febre, tremor, sonolência, dor de cabeça e náuseas. Em casos de contato prolongado com a substância, pode haver danos ao cérebro, fígado, pulmões e rins. Esse material é contaminante e pode prejudicar permanentemente um ecossistema se houver contaminação do solo ou, em caso de contaminação de rios, se for ingerido por peixes”.

Compostas basicamente por materiais recicláveis, como vidro, plástico e metal, as lâmpadas fluorescentes precisam de um descarte especializado por meio do qual são submetidas a um processo de descontaminação, permitindo que alguns de seus componentes sejam reciclados normalmente. “Entretanto, muitos usuários ainda descartam lâmpadas junto com o lixo doméstico comum, sem saber que, com isso, estão agredindo a natureza e a própria saúde”, explica Cláudio.

Segundo o gerente, a previsão é de que em abril seja realizado o descarte de mais 9.000 lâmpadas. 

Eficiência Energética no Campus

O diretor-geral do Campus Ouro Preto, Reginato Fernandes, destaca que a Instituição vem, ao longo da sua história, alinhando tradição e contemporaneidade. “Nosso Campus antigo, de prédios homônimos, nos remontam à realidade dos seus quase 77 anos de instituição, cuja sede já possui prédios centenários. A manutenção destes espaços são sempre desafios institucionais, tendo recursos cada vez mais limitados. Com esta realidade, o planejamento para ações adequadas ao contexto social, ambiental e orçamentário são foco da gestão”, afirma. 

Neste sentido, como ação importante para o desenvolvimento sustentável, a Comissão de Eficiência Energética vem desenvolvendo outras atividades, como a substituição de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED. “Teremos uma iluminação mais eficiente e de menor custo”, destaca o diretor.  A aquisição de novas usinas fotovoltaicas, a instalação de bancos capacitores e a realização de campanha de conscientização para o uso racional e econômico da energia elétrica também estão entre as ações conduzidas pela comissão.