Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Museu de Zoologia do Campus São João Evangelista alcança a marca de 5 mil visitantes
conteúdo

Notícias

Museu de Zoologia do Campus São João Evangelista alcança a marca de 5 mil visitantes

Número foi atingido durante o mês de maio. Espaço foi inaugurado no início de 2022.
publicado: 06/06/2024 15h44, última modificação: 10/06/2024 13h46

 Tudo começou em 2020, em plena Pandemia de Covid-19, com um quati encontrado morto nas dependências do Campus São João Evangelista. O espécime foi o primeiro a passar pelo processo de taxidermia (empalhamento de animais mortos), executado por docentes e estudantes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da unidade, ao qual o Museu de Zoologia é vinculado.

Desde então os trabalhos continuam e, hoje, o espaço conta com mais de 200 representantes da fauna da região, provenientes do bioma da Mata Atlântica e que já atraíram 5 mil visitantes desde sua inauguração. Os animais expostos foram vítimas  de atropelamentos, envenenamento, ataques de outros bichos, dentre outras causas e, agora, servem como instrumento de educação ambiental para que tais fatos não se repitam.

Dentre os visitantes, estão alunos e professores de mais de 50 instituições de ensino, além de  famílias do município e de cidades vizinhas. Todos puderam conhecer a técnica da taxidermia e ter contato com parte da  fauna da Mata Atlântica. Para o professor Marcelo Filardi, que coordena o projeto, o “Museu possibilita a práxis didático-pedagógica aos estudantes, apropriando-se de conceitos e técnicas  que envolvem as ciências naturais. Já para os visitantes o espaço permite conhecer a fauna local e contribui para a educação e sensibilização sobre os  impactos do ser humano no meio ambiente. “O Museu é um projeto reconhecido, premiado e promissor com importante impacto sócio-ambiental e educacional para os cursos de nível médio e superior, no Campus e na região de São João Evangelista”, explica.

 

Premiações e parceriaTamanduá.JPG

Em 2022 o projeto “Museu de Zoologia” recebeu o prêmio “Mérito Extensionista” e também foi premiado na “I Mostra de Ensino, Extensão e Pesquisa” do Campus. Em agosto de 2023 as ações do Museu receberam o reconhecimento do Comando de Policiamento Ambiental,  no município de Guanhães (MG) e o  professor Prof. Marcelo, agraciado com o medalhão comemorativo Challenge Coin (‘Moeda do Desafio’), uma das maiores honrarias da corporação. Em março deste ano o coordenador recebeu o prêmio “Gente que Faz”, na cidade de Sabinópolis(MG), em homenagem aos profissionais que fazem a diferença através de projetos em diversas áreas.

 O Museu firmou parceria com a Polícia Militar de Meio Ambiente, que utiliza o espaço como parte das atividades escolares do Programa de Educação Ambiental - Progea. As visitas guiadas têm participação de estudantes do curso de Ciências Biológicas, em um cronograma de visitações durante todo o ano.

Uma versão itinerante do projeto vem sendo atração em diferentes espaços públicos  Nos meses de abril e maio, por exemplo, o acervo foi apresentado em eventos nos municípios de São João Evangelista, Sabinópolis e Peçanha. Há ainda um convite para participação na  Semana Mundial do Meio Ambiente, na cidade de Coluna (MG), em  julho.

Slide11.JPG